As 4 coisas que mais me incomodam na decoração da minha casa

Quando eu morava em um apartamento alugado, sonhava com o dia em que eu pudesse enfim comprar a casa dos meus sonhos para reformar toda e fazer tudo do meu jeitinho.

SadHouse2

Só que quando finalmente consegui comprar um apartamento, a realidade foi um pouco diferente: Não foi bem a casa dos sonhos e sobrou zero dinheiro para reformas. No final tive que me mudar para o apartamento do jeito que estava e há quase 4 anos convivo com coisas que não gosto, mas que ficarão assim por um tempo porque deixaram de ser prioridade no momento. São elas:

1 – Piso branco no banheiro e na cozinha – Leia-se cabelos e sujeiras gritando no meu pé do ouvido a todo momento dizendo que minha casa não está limpa o suficiente. A cozinha vive com um pano de chão por perto e o banheiro tem que ser aspirado de tempo em tempo. Um saco!

2 – Listelos – Quem inventou isso não era uma pessoa boa. Listelos são aquelas cerâmicas retangulares que formam uma “barra decorativa” na parede e eram moda na década de 90. Por uma coincidência do destino eles também estão na cozinha e no banheiro do meu apartamento. E você aí se perguntando por que nunca mostrei esses cômodos aqui? :D Esperando sentada o dia em que essa moda volte a ser tendência de novo. Aliás se alguém tiver uma solução para cobrir listelos COM RELEVOS (ou seja não rola vinil adesivo) me conta que eu quero saber!

3 – Paredes desniveladas – Gastei uma grana com um pintor que fez um serviço bem qualquer nota nas paredes que já não eram lá uma maravilha. O resultado é que todas as vezes que bate o sol nelas fico achando tudo torto.

4 – Balcões das pias – Sim, a cozinha e o banheiro da minha casa são o meu calcanhar de Aquiles. Os balcões são de resina daqueles bem baratos que já vem presos nos móveis (nem sei se ainda vendem esse tipo de coisa!). Eu achava que ia trocar rapidinho quando me mudei e terminaram ficando, ficando… O lance é que agora só quero trocá-los quando trocar todo o revestimento dos cômodos. No entanto, cadê coragem para encarar uma obra com uma criança de 2 anos em casa!? :(

Às vezes acho que vou terminar me mudando sem resolver essas coisas que me incomodam nesse apartamento :P E por aí? O que mais você gostaria de mudar na decoração do seu lar!?

O que é um Fab Lab?

Imagine um lugar equipado com ferramentas incríveis disponíveis para você executar  todas as ideias mirabolantes que habitam nessa sua cabeça criativa. Agora pense como seria instigante e proveitoso para todo mundo compartilhar esse espaço e estimular outras pessoas a tirarem a ideia do papel também. Foi o que fez o professor Neil Gershenfeld, diretor do Centre of Bits and Atoms da instituição da MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts).

Em 2001, ele criou um projeto chamado “How To Make (almost) Everything” (Como fazer quase de tudo) onde os seus alunos usavam diversas ferramentas de fabricação digital para produzir suas próprias invenções. Essa foi a sementinha do que hoje chamamos de Fab Lab, uma rede mundial de laboratórios de fomento à criatividade. Já existem mais de 1100 no mundo todo, e 41 deles estão aqui no Brasil. (OBA! \o/)

fablab

Em um Fab Lab público, você pode receber assistência operacional, educacional, técnica e logística para criar o que quiser gratuitamente. Além disso, poderá manejar –devidamente orientado, claro– um monte de equipamentos que lhe ajudarão a pôr suas ideias em prática. Geralmente, nesses laboratórios é possível encontrar impressoras 3D, cortadoras a laser, programas de desenho digital, equipamentos de eletrônica e robótica e ferramentas de marcenaria e mecânica e em alguns máquinas de costura.

fablab4

Aqui em São Paulo tive experiências incríveis nos Fab Labs que têm parceria com a prefeitura e o Instituto de Tecnologia Social. Os espaços são abertos para a população em alguns horários e os profissionais envolvidos são super capacitados para ensinarem o manejo de todas as máquinas. Participei das oficinas de impressão 3D e de Marcenaria e amei as duas! Para fazer os cursos, é preciso se inscrever pelo site. As vagas se esgotam rápido mas não é impossível de conseguir. A dica é entre perto do final do mês que é quando abrem as inscrições do mês seguinte.

FabLabRecife04-1024x545

Em um Fab Lab privado o serviço é similiar, porém é preciso pagar para usar o laboratório e para fazer as oficinas.

No site oficial da iniciativa Fab Lab você encontra a lista completa de todos os Fab Labs do Brasil e encontra mais detalhes sobre a proposta.

Vamos ser makers nessa vida, minha gente!

Fotos: CTI e Portal Aprendiz

 

Como ter uma vida mais simples – Minha experiência

O post contando como estamos fazendo aqui em casa para economizar teve tantas respostas positivas que resolvi compartilhar outros hábitos que temos para viver uma vida mais simples. Quando eu falo simples, estou falando de uma vida sem excessos e valorizando o que é essencial. Tem relação com a quantidade de dinheiro, mas também tem muito a ver com escolhas.

Minha renda sempre foi irregular desde que comecei minha vida profissional. Na maior parte do tempo, fui profissional freelancer e tanto fazia eu ganhar bem direitinho em um mês, como passar outros três sem ver nenhum sinal de dinheiro. O lado bom dessa minha experiência é que, economicamente falando, sou bem treinada para poupar o máximo possível. Outro hábito que veio com essa minha vida de freela é o valor que dou ao meu tempo livre. Consigo, sim, trabalhar dentro de um escritório, oito ou mais horas por dia. Porém, não posso negar que ser dona do meu dia, como sou atualmente, é algo muito prazeroso. E que atualmente, com a idade que Dora está, virou prioridade.

Por tudo isso, ter um estilo de vida mais simples se tornou necessário pra gente. Ter uma vida sem excessos no dia a dia, para ter mais tempo de fazer as coisas que realmente nos importa. Se vai ser assim para sempre, eu não sei. Mas tem funcionado até o momento.

insta-01

Fazendo escolhas e as assumindo

Se existe uma verdade nesse mundo é essa de que não podemos ter/fazer tudo. Não podemos mesmo. Somos humanos e não damos conta. É fato! Se o foco é a carreira e você precisa trabalhar 12 horas por dia para chegar onde quer, é certo que algo será deixado de lado. Pode ser sua vida amorosa ou sua saúde, por exemplo. O mesmo acontece se o foco do momento é cuidar de um bebê. Não adianta. É preciso escolher.

Vou lhe dizer uma coisa que aconteceu aqui: depois que você assume as suas escolhas, a vida fica mais fácil e leve. Isso acontece porque você entende que não será 100% nas outras coisas que não são suas prioridades e tudo bem, porque foi uma escolha. E isso se aplica a tudo, inclusive às coisas do dia a dia. Por exemplo, se hoje eu defini que o dia seria para responder e-mails e enviar propostas de trabalho, não dará tempo de fazer almoço, arrumar a casa e Dora provavelmente terá que ver um pouco de televisão. E tudo bem! Se a gente decidiu que trocar a geladeira é a prioridade do mês, não vamos naquele restaurante que estávamos a fim no final de semana porque temos um objetivo maior e tudo bem também. E assim por diante! Defina suas prioridades, faça e assuma as suas escolhas e tenha uma vida com mais paz. Eu garanto que funciona!


Fazendo das mudanças algo divertido

Quando a gente pensa em vida simples, logo associa a menos dinheiro. Geralmente tem a ver, sim. Mas como falei no início do texto, não é só isso. Acho que também tem relação com o descomplicar. Mas ter uma vida mais simples (e barata) não significa menos conforto e diversão. Isso depende muito de como a gente encara as mudanças. Quer um exemplo: quando eu trabalhava fora, optava por ir de ônibus pra economizar combustível e estacionamento em alguns dias na semana. Dessa forma, economizava mais de 60 reais. Nos dias em que eu pegava ônibus aproveitava para dar uma volta pela Paulista (região difícil e cara de estacionar aqui em São Paulo) e até rolava de tomar uma cervejinha depois do trabalho, às vezes, já que eu não estava dirigindo. Não era um peso, tinha suas vantagens! Acho que algo parecido também pode acontecer quando você decide comer menos fora, por exemplo. Se você encarar a mudança como uma oportunidade de testar aquelas receitas incríveis que viu na internet a coisa muda de figura! Encontre as vantagens do novo estilo de vida e foque nelas.


Diminuindo as opções

Isso pode parecer uma coisa ruim, mas não é. Quando eu falo em diminuir as opções, estou querendo dizer em manter apenas o que é essencial. Por exemplo, já pensou em como você se arrumaria bem mais rápido se tivesse no armário apenas as roupas que realmente usa? Como a maquiagem seria mais prática se no necessaire tivesse apenas os itens que você costuma passar? E a limpeza da casa? Já imaginou como seria bem mais fácil a faxina se você não tivesse tanta coisa? É disso que eu estou falando. Praticidade resulta em tempo livre, e se você leu o post sobre economia sabe que tempo livre significa menos dinheiro gasto e mais vida para ser vivida.