Tendências da Casa Cor SP 2017 para usar na decoração da vida real

O tema da edição deste ano da Casa Cor de São Paulo foi “Foco no essencial”. Uma proposta de resgate ao que de fato é importante para o bem viver. O resultado foram ambientes com uma simplicidade inspirada e ideias possíveis de usar mesmo quando não se vive em um apartamento de 400 m2.

Conferi tudo de pertinho sábado passado e fotografei 5 tendências da Casa Cor que achei que valem a pena considerar quando estiver pensando em repaginar a decoração da casa.

Memórias para decorar – Essa provavelmente foi a forma mais recorrente de valorizar o “essencial” do tema na decoração. Em vários ambientes vi memorabílias, fotos antigas, bibelôs e objetos com cara de colecionáveis. Aquele artigo de família ou o artefato comprado em uma viagem está na moda na decoração, assim como móveis com multicompartimentos como os usados por pesquisadores pra catalogar os seus “achados”.

Louças bem à mostra – Nada de esconder a louça em armários fechados. A nova onda é deixar tudo bem exposto e à mão. Pronto e fácil para o uso.

Folhas, árvores, folhagens e mais folhagens – Quanto mais vistosa a folha, melhor. Se tiver salpicada na estante em um canto inusitado do chão, passando pelas paredes e chegando ao teto, é sucesso! E não precisa ser de verdade; pode ser em gravuras, fotos, papel de parede e obras de arte. Mais um argumento para virar a louca das plantinhas.

Louças sanitárias coloridas – Tinham muitas e de várias cores! Apesar de adorar a nova roupagem desse artigo tão retrô, eu não usaria no banheiro principal e sim num lavabo, por exemplo. Sabe o porquê? A cor do seu xixi é uma das principais formas de identificar problemas nos rins e nos fígados. Por esse motivo, é sempre aconselhável usar sempre bacia sanitária branca no banheiro que você mais usa! Fica a dica. Saúde sempre antes da decoração, please!

Bons drinks – Se um ambiente confortável é item essencial do viver bem, nada melhor que uma bebidinha para acompanhar um momento de lazer no lar, né? Em vários projetos, os bares ganharam lugar de destaque; uns mais contidos e outros amplos, quase que tomando conta de todo o espaço. Tin tin!

Postei mais um monte de coisa legal que vi na Casa Cor no Instagram do Casa de Firulas. (Como assim você ainda não segue!?!). Ainda vou postar mais fotos por lá e e breve farei outro post com os meus ambientes favoritos desta edição da mostra! :)

A Casa Cor São Paulo 2017 está aberta ao público de 23 de maio a 23 de julho de 2017
Terça a domingo e feriados das 12h às 21h

No Jockey Club de São Paulo
Av. Lineu de Paula Machado, 1075

De terça a quinta-feira
Ingresso inteiro: R$ 56
Ingresso de estudante: R$ 28
Ingresso senior (para pessoas com 60 anos ou mais): R$ 28

Sexta, sábado, domingo e feriados
Ingresso inteiro: R$ 70
Ingresso de estudante: R$ 35
Ingresso sênior (para pessoas com 60 anos ou mais): R$ 35

Valet: R$ 35

Tenho um quintal no apê – Minha experiência com a grama sintética

Ainda não mostrei a vocês mas estou renovando a minha varandinha. Eu adorava os decks de madeiras que havia instalado quando me mudei para cá. Porém com o tempo eles começaram a ficar velhos e as pedrinhas que decoravam o ambiente também não eram muito seguras para Dora.

Foi então que resolvi arriscar e colocar uma grama sintética no piso da varanda. Coloquei ela no dia 20 de fevereiro. Esperei passar uns dias para poder falar com mais propriedade da experiência por aqui. Agora posso dizer com certeza: estou amando!

grama artificial

Escolhi uma que imita bem uma grama natural (o nome dela é multigarden 25mm). A sensação ao pisar nela com os pés descalços é ótima. Ela não esquenta no calor, nem fica gelada no frio. A grama sintética não acumula pó e sujeira como acontecia com o deck e ainda por cima ficou bem bacana (olha na foto como parece de verdade!).

O único porém é que ela não é vazada. Por esse motivo, quando chove encharca. No entanto, como optei por não colar a grama sintética no piso, das poucas vezes que choveu muito forte, eu apenas levantei ela um pouco para que a água escorresse até o ralo. Depois deixei secar o restante naturalmente e deu tudo certo.

As gramas sintéticas importadas, com aparência bem natural com a minha, não custam tão barato. Comprei a minha numa loja do Mercado Livre e paguei R$ 200 (2,5m X 2m). Ela veio pelo correio toda dobrada e por isso ficou com alguns amassados que estão suavizando com o uso.

Desde que coloquei a grama sintética, estamos usando a varanda bem mais. Dora agora ama passar as manhãs de sol brincando nela e eu e Márcio nos sentamos lá para relaxar.

Recomendo, recomendo e recomendo usar grama sintética para decorar ambientes como varandas!

Eu espero terminar o resto das novidades da varanda nova em breve e aí mostro tudo para vocês :)

Como fazer um sagrado coração mexicano para decorar a parede

Sempre tive vontade de ter um sagrado coração mexicano para decorar minha parede. Procurava em tudo quanto é lugar por um e nos poucos lugares que achava eles custavam espantosamente caros.

Ano passado minha irmão foi ao México e é claro que pedi para ela trazer o bendito coração para mim de presente. Ela comprou um lindo de “lamina repujada”, como eles chamam um metal fino e maleável muito usado no artesanato por lá/

Dia desses, enquanto abria o leite em pó de Dora, notei que o lacre da lata era de um metal grosso. Na hora pensei que talvez servisse para fazer uma versão adaptada de “lamina repujada”. E não é que funcionou!? Compartilho aqui para que você também possa ter um sagrado coração mexicano bem lindo para chamar de seu.

coração_flamejante_1

Materiais
Lacre de lata de leite em pó
Dobrador ou espátula plástica
Tesoura
Lápis
Esmalte para unhas na cor vermelha
Tinta acrílica preta

coração_flamejante_2
1. Passe o dobrador ou a espátula por todo o lacre até que a textura dele fique bem lisa.

coração_flamejante_3

2. Com o lápis, desenhe um sagrado coração. Você pode usar essa técnica para fazer o coração e acrescentar as flâmulas logo acima dele. Faça pequenos pontos na lateral para dar textura. Use um lápis com a ponta arredondada. Se estiver recém feita ou muito pontuda ela poderá rasgar o metal.

coração_flamejante_4

3. Recorte com cuidado a figura no lacre.

coração_flamejante_5

4. Com o esmalte, pinte o coração. Espere secar e dê uma nova demão. Repita o processo até chegar no tom de vermelho que desejar.

coração_flamejante_6

5. Com os dedos esfregue um pouco de tinta preta nas flâmulas. A ideia é que fique apenas sujo de tinta, dando a impressão de metal gasto e enferrujado.

coração_flamejante_B

6. Depois que o esmalte e a tinta secarem, molde o metal com as mãos de forma que o coração fique arredondado e as flâmulas com um leve relevo. Fixe na parede com fita dupla-face ou massinha de fixação temporária.

coração_flamejante

Fiquei apaixonada por esse projeto e já quero colocar um sagrado coração mexicano em cada canto da casa! :)