Meu aniversário, as firulas e as mudanças que a idade traz

Eu era recém-casada quando criei esse blog há quase 9 anos. Em 2008, a moda dos cupcakes tinham acabado de chegar com tudo por aqui, assim como aquelas coisas fofas de cozinha com carinha dos anos 50 (que hoje tem em qualquer camelô). Eu achava tudo aquilo o máximo e estava curtindo muito todos esses frufrus no meu primeiro apartamento. Brincando de casinha literalmente.

Estava no mestrado estudando semiótica e analisando discursos. A palavra firula me parecia simpática. Como no texto, trazia todo o extra desnecessário que podia deixar tudo mais acolhedor. Todo aquele excesso era então bem-vindo.

Hoje, no dia em que completo 37 anos (caraca tô mais perto dos entas! hahaha), minha realidade é tão distante desse mundo delicado lá de 2008 que às vezes implico com o nome dessa minha querida casa virtual.

Implico porque nessa altura da minha vida quase não cabe o básico aqui em casa, que dirá o excesso. Se a Mirella de 2008 sonhava em ter uma cozinha planejada absurda de linda, a de 2017 quer mesmo é conseguir pagar a escola da filha e quem sabe um dia levá-la para conhecer a África do Sul.

A blogueira de hoje se importa menos se as cerâmicas do banheiro são antigas e demora um bocado para comprar um novo puxador do armário quebrou. Simplesmente porque não sobra muito tempo para se preocupar com isso. A vida real bateu à porta e os valores e prioridades mudaram um pouco.

Quando bati na tecla aqui nesses últimos meses fazendo e ensinando projetos decorativos “Faça Você Mesmo” e dando dicas para você reorganizar e decorar de forma acessível, real e prazerosa é porque isso agora faz muito mais sentido para mim do que mostrar o que rolou de mais cool na última feira de Milão.

Não me leve a mal. Ainda amo uma casa linda. Saber das últimas tendências ainda me interessa. Mas, infelizmente a vida passa. Passa não, tô achando que essa danadinha corre. E para alcançá-la, às vezes precisamos deixar algumas coisas para trás. Fazer escolhas para a carga ser mais leve. E foi assim que nos últimos meses escolhi dar menos importância a uma decoração incrível e ideal para valorizar mais o que de lindo pode ter numa decoração possível e real.
IMG_20170509_155745960
Na vida offline isso também tem acontecido. O possível e o real andam tomando conta da rotina e transformando ela em uma coisa um pouco louca e bagunçada mas igualmente linda! E é assim que, se tudo der certo, espero que seja o meu ano novo que começa hoje.

E que as firulas das nossas vidas sejam sempre todos aqueles muitos detalhes em uma vida simples que a tornam especial! :)

4 coisas que você não deve esperar ao fazer um projeto DIY e 1 que você deve

Você já deve ter notado que ando firme e forte no meu propósito de fazer todo mundo virar craque em projetos DIY. Uma coisa importante para quem está entrando com tudo nesse mundo, ou para quem já está nele e adora tentar novas técnicas e projetos, é alinhar bem as expectativas.

De certa forma, isso que garante o sucesso de todas as suas empreitadas pois é isso que define se você ficará satisfeito ou não com o resultado final do seu projeto.

2371956fc8f9f5e7c1e814853a6aa5c7

Não espere perfeição
Você viu um quadro incrível naquela rede de lojas de decoração famosa e tem certeza que consegue fazer exatamente igual em casa. Você não vai conseguir. Provavelmente, aquela gravura que parece ter sido pintada foi feita em série por uma máquina em uma grande gráfica. E mesmo que tivesse sido feita à mão, seria uma mão diferente da sua, ou seja, jamais seria uma cópia perfeitamente igual.

Nas manualidades, o imperfeito faz parte do processo e é preciso incorporá-lo aos projetos. Isso inclui acabamentos, traços, coberturas, cortes e assim por diante. Lembre-se sempre que mãos não são máquinas.

Não espere economia
Nem sempre o feito à mão é mais barato. Pelo contrário, muitas vezes é mais econômico você comprar pronto. Muitos materiais costumam custar caro e na conta entram também gastos com transporte para comprá-los, energia elétrica e gás (se os projetos envolverem o fogão).

Já falei algumas vezes e repito que, exclusivamente se tratando da parte financeira (apenas nesse aspecto, hein! Não confunda as coisas!), fazer você mesmo só vale a pena para objetos ou serviços muito caros ou quando você não consegue achar pronto exatamente o que deseja. Se você quiser saber mais sobre esse aspecto do Faça Você Mesmo, clique aqui para ver o fluxograma que fiz para lhe ajudar a refletir.

Não espere praticidade
Entrar no mundo do DIY envolve a sua casa também. Existe uma grande chance da atividade virar hobby e vai faltar espaço no lar pra guardar todo o material. Sem falar dos restinhos de projetos (contas, pompons, retalhos…) que sobreviverão espalhados pela casa por toda a eternidade.

b833f4343ee4d6651eab226136add11c

Não espere aplausos
É sempre recompensador receber elogios depois de passar horas fazendo algum projeto manual. Mas nem sempre eles chegam. Seja por distração, ou porque o que você criou as vezes não será unanimidade no gosto de todos. Faz parte e tudo bem quando acontecer. Nada de frustrações!

Espere felicidade
Você vai ficar feliz! E olha, não estou falando na alegria que dá ao ver um projetinho finalizado ou uma peça pronta, não. Quero dizer que o simples fato de colocar a mão na massa, se concentrar um pouco e dedicar algumas horas a uma manualidade diminui o estresse e melhora o bem estar de uma forma geral. É felicidade que começa nas pontinhas dos dedos, toma conta do corpo e acaba no pé! :) E é por isso que apesar dos quatro primeiros itens dessa lista, fazer você mesmo vale muito a pena! :)

Fotos: The Blondish, The Every Girl.

Estamos ditando regras demais na decoração?

Antes de tirar as fotos para fazer um post sobre meu quarto, cuidei de guardar tudo que estava “fora do lugar” perto da cabeceira da cama: o copo de água, a revista que estava lendo, minha agenda, meu Kindle e uns elásticos de cabelos que sempre estão jogados por toda parte. Tudo isso saiu de cena para a foto ficar mais bonita.

Tudo bem, né? Faz parte. Isso serve para valorizar mais o que realmente importa: o móvel ou um artigo decorativo novo.

Opa! Será que a gente já não ouviu esse discurso antes? É impressão minha ou a história das modelos serem bem magras para chamar só atenção para a roupa não é semelhante? Será que não estamos estimulando moradores a ficarem frustados por não terem a casa sem nenhum objeto fora do lugar da mesma forma que milhares de mulheres sofrem por não ter o corpo da capa da revista?

Captura de Tela 2017-03-28 às 21.51.47

Quase todo mundo está insatisfeito com alguma parte da casa. Tem sempre alguma coisa na nossa cabeça que poderia melhorar. E a questão é que se o parâmetro forem as fotos de blogs, revistas e do Pinterest, nunca ninguém estará satisfeito. Sabe por que? Porque essas fotos são produzidas! Tudo é maquiado e disfarçado para parecer mais bacana e esteticamente interessante.

Se as fotos fossem reais, todo mundo teria a confirmação que no quarto das crianças, além daquela linda decoração escandinava da moda tem uma caixa de papelão enorme que o seu filho se afeiçoou mais do que ao brinquedo que veio dentro dela. Teria também um prato com o resto do lanche, um tupperware da cozinha cheio de pedrinhas do jardim e um jogo de cama todo descombinado já que o pequeno molhou o lençol e você teve que trocar só uma parte no meio da noite.

Captura de Tela 2017-03-28 às 22.14.56
Na cozinha possivelmente teria um escorredor de louça cheio de pratos do almoço que em nada harmoniza com os belos móveis planejados. Talvez uns menus de delivery colados na geladeira ou espalhados na mesa. Na fruteira, umas bananas já passadas. E no fogão, uma panela já pedindo arrego.

A sala então, a estrela da casa, mostraria um sofá já meio surrado com a sua bolsa ou casaco constantemente em cima dele. Na mesa de jantar tem as chaves e algumas correspondências. Já a estante estaria sempre com algum objeto que você deveria guardar no lugar certo mas deixou para depois.

Captura de Tela 2017-03-28 às 22.16.44

Não preciso nem falar do resto, basta olhar ao redor. Se você não tiver um lar decorado por profissional (e não adicionar nadinha na decoração desde então) e uma funcionária para manter tudo em ordem, é fato que vai ter uma coisa tida como errada ou imperfeita na decoração de casa.

E esse texto é só para lhe lembrar que tudo bem. Que mais importante do que ter o tapete do tamanho certo para o seu sofá é aproveitar o tempo livre nele assistindo a sua série favorita. Para lhe lembrar que a panelinha velha faz um brigadeiro tão gostoso quanto a nova. E que o dinheiro gasto para substituir os azulejos dos anos 80 do seu banheiro talvez seja melhor gasto com aquela viagem dos sonhos.

Captura de Tela 2017-03-28 às 21.52.56

Um lar é feito com tudo aquilo que faz parte da sua vida e da sua rotina, e isso inclui até mesmo a colcha de cama do Corinthians que era da casa do seu marido antes de vocês se casarem. Sejamos livres na vida e também na decoração. A beleza e o conforto podem estar sim na imperfeição!

Fotos: Casa Chaucha