1 second everyday – quando um app pode trazer poesia e qualidade de vida

Valorizar a vida offline virou a ordem do dia. Retornar aos hábitos de antes da internet existir nunca esteve tão em moda. Coisas como fazer bordados e moer o grão para passar o cafezinho em casa. Pequenos atos que parecem até que a gente havia esquecido em época de fast fashion, produtos chineses e cafeterias gourmet.

No meio de tudo isso jamais imaginei que um aplicativo de celular poderia me ajudar a reencontrar o prazer de viver um cotidiano simples. Mas esse app existe e se chama 1 second everyday.

O 1 second everyday funciona assim: todos os dias você registra em um vídeo de 1 segundo algo que aconteceu no seu dia e salva no aplicativo. Você pode pegar um trechinho de algum vídeo já gravado por outro motivo naquele dia também, como por exemplo, algum que você mandou para um amigo pelo WhatsApp.

Eu comecei a fazer os registro no 1 second everyday no dia primeiro de janeiro e meu objetivo é continuar no mínimo até o dia 31 de dezembro. A ideia é a cada mês juntar os registros e fazer pequenos vídeos de 30 segundos.

O de janeiro teve viagem para Recife, reencontro com amigos bem queridos, Carnaval, festinha improvisada para Dora ter registro de aniversário com as bisavós, passeio no quintal dos meus pais, primeiro corte de cabelo de Dora, aula de natação e mais um monte de momentos simples e deliciosos em casa mesmo.

E por que isso tem me trazido alegria e qualidade de vida? Porque é incrível como a gente se dá conta de como a nossa vida é preciosa e linda nas pequenas coisas. Me emociono diariamente ao pensar em o que vou registrar ou ao escolher nos vídeos que fiz que segundo daquele dia vale a pena ser eternizado. Nessa seleção pelo segundo mais importante do dia, eu encontro os motivos para ser grata pela minha vida. E ao encontrar essas razões, mesmo no meio dos tantos problemas que surgem diariamente, minha rotina torna-se mais leve. A tal máxima de “viver um dia de cada vez” fica mais fácil de ser vivida e tem sido delicioso seguir assim.

Estou indicando pra todo mundo esse aplicativo que é puro amor! Façam esses registros lindos. Escolham um segundo do dia para serem gratos e guardar na memória de uma forma especial. Vale muito a pena. <3

Como os óleos essenciais me ajudam em casa e na vida

Eu tenho um supernariz. Não tô falando de tamanho. Tô falando de olfato mesmo. Consigo reconhecer cheiros de todos os tipos, sou bem sensível a aromas muito fortes e minha memória olfativa se duvidar é mais forte que a imagética. Sendo assim, cheiros têm um papel importante no meu dia a dia.

Tive meu primeiro contato com óleos essenciais em um curso de meditação que fiz em 2001. Lá aprendi a esfregar óleo essencial de alecrim nas mãos, fazer uma concha com as duas palmas das mãos na frente do nariz e inalar. Dessa forma, o óleo de alecrim me ajuda a colocar a cabeça no lugar e ter mais clareza em momentos difíceis. Desde então gosto sempre de ter um vidrinho por perto. Não uso sempre mas é bom saber que ele está por ali para quando eu precisar.

oleos_essenciais

Recentemente comprei um vidrinho de óleo essencial de lavanda e semanalmente pingo uma gotinha no travesseiro. Faz maravilhas com o sono.

Outros óleo que eu uso de tempos em tempos é o de eucalipto globulos. Coloco algumas gotas dele nos cantinhos do box quando estou gripada. O vapor do banho quente ajuda a fazer o aroma do óleo essencial subir e alivia muito o nariz congestionado.

Ainda uso o óleo de Melaleuca (ou Tea Tree, é a mesma coisa). Eu coloco umas gotinhas no shampoo quando algumas caspinhas teimam em aparecer no couro cabeludo.

oleo_essencial_lavanda

É possível usar óleos essencias para aromatizar o lar também. Existe a forma mais tradicional por meio de difusores vendidos em casas especializadas. Mas tem também aquela dica superantiga que dei aqui há 6 anos de pingar umas gotinhas dos óleos essenciais da sua preferência no rolo do papel higiênico para perfumar o banheiro. Outro truque legal é pingar umas gotinhas nas velas antes de acende-las. O cheiro ficará mais forte quando o pavio queimar.

Uma coisa importante de prestar atenção na hora de comprar os seus óleos essenciais é não comprar óleos sintéticos. Eles só imitam o cheiro (nem sempre de uma maneira fiel) e não trazem as propriedades. Tem que ser os óleos reais, extraídos das plantas mesmo.

Tem alguma outra dica de uso com óleos essenciais? Me conta!

Uma casa de 1915 em Canela – O que perdemos e ganhamos com o tempo

Em maio, passei uma semana em Canela, na Serra Gaúcha. Foi uma delícia de viagem e foi impossível não se encantar com a arquitetura cheia de influência alemã. Já mostrei um monte de coisas lá no Instagram do blog (Não creio que você ainda não segue?! :O). No entanto, queria muito fazer um post específico de uma casa que ganhou meu coração: O Castelinho Caracol.

Trata-se de uma construção encomendada por uma podre de ryca abastada família alemã, finalizada no ano de 1915 e que se mantém preservada até hoje. O lugar é tão incrível que a família Frazen, dona do local até hoje, resolveu abri-la para visitação. A casa foi transformada em um verdadeiro museu sobre a forma de morar do início do século passado.

Castelinho_Caracaol_1

A casa da família Frazen foi construída com dois andares, 12 cômodos e pé-direito de 4,35 m. Ela é inteiramente feita de madeira de araucária e com um sistema de encaixes, longos parafusos e sem nenhum prego! A madeira usada na construção da casa também recebeu um tratamento especial para ficar mais resistente: ficou submersa durante seis meses nas águas de um rio e depois mais seis meses secando na sombra. Sim, havia menos pressa.

Castelinho_Caracaol_2

Castelinho_Caracaol_3

Durante esse passeio o que mais chamou a minha atenção naquele estilo de vida é que havia menos distrações nos ambientes. Todos os cômodos estavam na função para a sua razão de ser. A sala de jantar servia, olhem só, para jantar! O quarto para o descanso, o banheiro para a higiene e assim por diante. Lamentei que perdemos isso com o tempo. Sim, eu sei, muito disso é culpa dos nossos espaços diminutos que nos obrigam a enfiar o home office no quarto, uma televisão na sala de estar e o quarto de brinquedos no lugar que as crianças dormem. Mas já pensou que vida tranquila não ter que encavalar os espaços e poder dar dedicar-se exclusivamente às atividades de cada ambiente? E ainda vendem o mindfulness como uma coisa nova! rs :D

Castelinho_Caracaol_5 Isso no fogão era Strudel de maça (maravilhoso, por sinal!) e chá de maça (que não provei lá mas trouxe pra fazer em casa!).

atelier_costura
Senti uma inveja danada desse atelier bem iluminado e com uma mesa enorme para as costuras e manualidades.

Castelinho_Caracaol_8

Castelinho_Caracaol_4

Mas então “antigamente é que era bom”? Não exatamente. Basta dar uma olhadinha no quarto de utensílios para ficar feliz em viver no século XXI: uma geladeira de cerca de um metro, batedor de manteiga e ferro a carvão, entre outras “modernidades”.

Castelinho_Caracaol_6

Castelinho_Caracaol_7

Isso sem falar que não pude ignorar que em quase todos os cômodos relacionados às atividades domésticas tinha um bercinho ou um cavalinho de criança. Ou seja, se hoje com microondas e lava-louças a gente sofre pra dar conta das crias, imagina naquela época.

Bom seria se conseguirmos resgatar o que de bom tínhamos no passado, mas sem perdermos nossas pequenas conquistas cotidianas. Será que é possível? O que você acha?